Inspire-se com incríveis ideias de capas de livros

Ter ideias de capa de livro que sejam perfeitamente adequadas para um livro pode ser uma tarefa difícil. Para criar uma capa que os leitores vão adorar, os designers gráficos precisam pensar fora da caixa.


Nossa lista das 100 ideias de capa mais criativas dá uma olhada nas capas de livros que realmente se destacam da multidão. De capas de livros minimalistas a complexas e extravagantes, esta lista cobre tudo.


Cada uma dessas capas foi escolhida pelo que agregam aos livros que apresentam. Os designs de capa de livro devem ser mais do que apenas uma capa para suas páginas, mas designs cuidadosamente criados que contam algo sobre a história.

Capas que abrangem uma variedade de gêneros

Essas ideias vêm de títulos de vários gêneros, incluindo drama, suspense, arte, crime, romance, ciência e muito mais.


Os designs de capa em nossa lista são tão diversos quanto esses gêneros. Todos eles valem o seu lugar e lhe darão muita inspiração para pensar em suas próprias ideias de capa.

Arte

Albert Camus – O Exílio e o Reino

A capa de Exile and the Kingdom usa assimetria para causar um forte impacto visual. O designer da capa experimenta os retângulos preto e branco para criar uma aparência desconexa.


As cores contrastantes do padrão são uma metáfora adequada para os personagens do livro, que estão constantemente em desacordo com o mundo em que vivem.

Eles se sentem solitários e excluídos da sociedade, e a aparência irregular da capa é uma boa representação da natureza instável de suas vidas.

Nicholas Rombes - A Cultural Dictionary of Punk: 1974-1982

O fundo liso e a tipografia rabiscada à mão são escolhas adequadas para um livro sobre o movimento punk.


O desenho de um homem com um vinil sobre o rosto é único e envolvente. É uma ilustração alternativa que se encaixa muito bem no assunto do livro.

A palavra 'punk' é sublinhada para destacar o assunto do livro e chamar a atenção do leitor para o texto.

Anne Michaels – Poemas

O céu noturno estrelado sobe lentamente pela mão na capa de All We Saw: Poems. É uma peça atraente de design abstrato que é minimalista, mas também expansiva.


Ele captura a imaginação e a esperança do livro, que analisa o que o amor nos permite fazer e o que o amor nos impede de fazer.


O texto é pequeno e reservado para a parte inferior da capa, permitindo que os leitores se concentrem na imagem do design.

Eldritch Priest – Boring Formless Nonsense: Experimental Music and the Aesthetics of Failure

A capa 3D de Boring Formless Nonsense é tudo menos chata. O livro discute música experimental e de vanguarda e a capa é uma boa representação de seu estilo desequilibrado.


Vemos uma partitura, mas ela está inclinada para cima, o que nos dá a chance de vê-la de uma perspectiva completamente nova.


A fonte limpa é fácil de ler e funciona bem com o restante da capa. A parte principal do título é destacada por meio do uso de texto maior.

Kevin Young – Brown Poems

A capa de Brown Poems usa algumas texturas do estilo dos anos 80 e uma técnica de colagem para criar um visual altamente artístico.


Há também algumas vibrações Dada em jogo aqui em um livro que compartilha conosco uma lembrança de uma infância negra no Kansas.


Se você está tentando criar ideias exclusivas para capas de livros que usam estilos de design incomuns, Brown Poems seria uma boa fonte de inspiração para você.

Jim Johnstone – Dog Ear

Dog Ear instantaneamente se destaca da multidão devido à sua tipografia inventiva. O estilo do recorte chama a atenção e desperta a curiosidade sobre o conteúdo do livro.


O fundo preto permite que o texto salte e realmente faz com que o leitor preste atenção nele.


O título é uma referência às dobras que fazemos em uma página para marcar onde estamos em um livro. Da mesma forma, deixamos nossas marcas em um mundo em constante mudança.

David Salle – How to See: Looking, Talking, and Thinking about Art

O texto na capa de How to See usa uma fonte simples, mas é incrivelmente impressionante. Não apenas por causa do esquema de cores vivas, mas também pela ordem das palavras.


Em vez de colocar 'How' no topo da capa, o designer inseriu entre as palavras 'To' e 'See'. Isso faz com que o leitor pare momentaneamente para dar uma olhada mais de perto.


Essa escolha de layout é perfeita para um livro que questiona como devemos ver a arte e examina o efeito que ela tem sobre nós.

RMIT University – Little Spines

Criada por Vibeke Illevold, a capa de Little Spines tem um design único e cativante. Uma cobertura parcial é usada para criar o efeito de uma árvore com metade cheia de folhas e outra metade sem elas.


A aparência terrosa do fundo destaca ainda mais as folhas verdes, enquanto o fundo totalmente branco no lado sem folhas enfatiza sua nudez.


Little Spines é uma antologia de escrita criativa de estudantes da RMIT University, e a capa foi uma escolha adequada para tal livro.

Asa Boxer – Skulduggery

A capa de Skulduggery usa vários gestos de mão diferentes para criar um padrão intrigante.


O esquema de cores branco e preto permite que o design se destaque facilmente e é tentador examinar a capa para examinar de perto cada gesto da mão.


Uma coleção de poemas, Ardiloso adverte o leitor a não confiar em nada. O múltiplo truque de mãos em exibição é uma imagem adequada para este aviso.

Biografias/Memórias

Rob Roberge – Liar

Mentiroso, do romancista Robert Roberge, é uma história que fala sobre temas como memória e doenças mentais.


O buraco queimado na capa foi convenientemente colocado sobre a cabeça de Roberge. É uma metáfora para sua memória, que vem se desintegrando lentamente.


Tipografia interagindo com objetos do mundo real é muito popular agora e podemos ver o homem na capa sendo usado como o 'eu' em 'Mentiroso'.

Walter Isaacson – Steve Jobs

Esta imagem clássica em preto e branco de Steve Jobs é apresentada na biografia homônima de Walter Isaacson.


O fotógrafo Albert Watson é conhecido por suas fotos icônicas de figuras famosas e capturou perfeitamente a personalidade de Jobs nesta foto.


Apesar do fato de que toda a filmagem levou apenas 20 minutos, Jobs disse que foi possivelmente a melhor foto já tirada dele.

Casey Gerald – There Will Be No Miracles Here: A Memoir

As finas linhas pretas e brancas da capa de Não Haverá Milagres Aqui aparecem quase como se fossem os raios do sol prestes a se revelar.


A faixa preta na parte inferior da capa funciona como o horizonte e serve para exibir o nome do autor .


O livro em si ilumina o sonho americano, mostrando como a elite impede que aqueles que estão abaixo dela cheguem ao poder.

Michael Skerker – An Ethics of Interrogation

Uma lâmpada pende fraca e mal ilumina a capa de An Ethics of Interrogation, de Michael Skerker. A falta de luz é adequada para um assunto tão escuro e sombrio.


O interrogatório é sombrio e desconfortável, então é justo que as imagens da capa do livro sejam exibidas de maneira discreta.


O livro aborda todos os aspectos de uma questão tão complexa e vai além da representação padrão da tortura que vemos nos filmes.

Robert Phillips – Trust Me, PR is Dead

Para enfatizar a mensagem do título, pinceladas vermelhas são usadas para obscurecer parcialmente o texto desta capa.


O vermelho é uma boa escolha para redigir o texto neste caso, pois chama a atenção por natureza. O fundo liso ajuda a destacar a força do vermelho.


Se você está procurando designs de capa de livro para designs baseados em texto, Trust Me, PR is Dead é um bom exemplo a seguir.

Crime

Derek Raymond – How the Dead Live

Um prato quebrado na capa de How the Dead Live indica a violência que o leitor pode esperar encontrar lá dentro.


O espaço negativo é usado para retratar a imagem de uma caveira nas placas, e um fundo laranja serve para enfatizá-la.


O texto no design permite que a imagem ocupe o centro do palco. É claro e facilmente legível, usando uma fonte simples que não causa distração.

Kazuhiro Kiuchi – Shield of Straw

A inutilidade de um escudo de palha fica clara na capa dos livros de Kazuhiro Kiuchi. Apesar de canudos cobrindo o texto, ainda é claramente visível.


Capas de livros como esta são simples, mas eficazes. A capa transmite de forma brilhante a mensagem do título.


As palhinhas são brancas, contrastando com a tipografia preta estilizada e o fundo verde escuro.

Drama

Dinaw Mengestu – All Our Names

Aparecendo como se fosse um quadro-negro, a capa de All Our Names faz referência ao cenário inicial desta história.


Dois jovens saem do campus da faculdade e entram em uma revolução que muda completamente quem eles são.


O fato de o texto estar riscado na capa pode significar que as antigas vidas dos dois homens foram riscadas e irreparavelmente alteradas.

Daniel Alarcón – At Night We Walk in Circles

Ao criar ideias de capa, escolher as cores certas pode ser a chave para destacar seu design. At Night We Walk in Circles é um ótimo exemplo disso.


O design roxo e branco torcido é extremamente marcante e é uma boa metáfora visual para a queda do personagem principal em uma vida de caos.


Apesar de ser repetida quatro vezes, a tipografia em letras maiúsculas não atrapalha o leitor.

Joshua Cohen – Book of Numbers

O mistério do Livro dos Números de Joshua Cohen é muito bem transmitido por sua capa. O rosto de um homem é parcialmente revelado, levando-nos a perguntar quem ele pode ser e qual o papel que desempenha no romance.


Código binário e circuitos de computador aparecem na capa, sugerindo o papel onipresente da tecnologia na história.


Vermelho, amarelo e azul são escolhidos como cores de fundo para cada seção do texto e isso o destaca do fundo preto.

Kelly Loy Gilbert – Conviction

Uma visão aérea é usada aqui para mostrar um carro se movendo durante a noite. Sua luz ilumina o slogan do livro, 'uma mentira o libertará'.


É uma fala tentadora, mesmo sem nenhum contexto, mas fica ainda mais interessante quando você descobre o enredo do livro.


O título está organizado de forma aleatória e a fonte é fina e entremeada. O 't' em convicção é exibido como uma cruz em um aceno para alguns dos temas religiosos do livro.

Willian Shakespeare - Hamlet

Esta capa minimalista do Hamlet de Shakespeare usa brilhantemente o espaço negativo para exibir a espada envenenada que desempenha um papel tão importante em sua trama.


Também podemos ver a letra 'H' no desenho, que ocupa o restante do espaço da capa do livro.


Capas de livros que exibem dispositivos de plotagem usando uma perspectiva nova e única podem funcionar muito bem.

Jonathan Safran Foer – Here I Am

Linhas de texto são usadas aqui para criar um plano de fundo colorido. Palavras vermelhas e azuis são rabiscadas ao acaso sobre uma tela laranja.


As divagações incoerentes pretendem ser difíceis de ler e seu principal objetivo é criar a estética única da capa.


O título branco transparente se destaca acima de tudo. É uma fonte grande, em letras maiúsculas e é facilmente perceptível.

Kirsty Gunn – Infidelities

As letras irregulares de Infidelities funcionam muito bem aqui contra um plano de fundo que mostra o cenário do livro.


Destacar cada letra 'I' em vermelho adiciona uma sensação de perigo e urgência à capa, ao mesmo tempo em que fornece estrutura ao título.


Infidelities é uma série de histórias curtas sobre luxúria, engano e arrependimento que se sobrepõem. A capa faz um trabalho de insinuar a atmosfera tensa e claustrofóbica.

Elizabeth Greenwood – Playing Dead: A Journey Through the World of Death Fraud

Playing Dead é um livro que investiga tudo o que tem a ver com fraudes mortais, tornando a imagem da capa uma escolha muito apropriada.


É uma ótima metáfora visual que mostra um homem que não existe, mas ainda vive sua vida. O espaço negativo é usado de forma brilhante para transmitir essa ideia.


O texto no design é bem definido e é fácil de ler contra um fundo vermelho segmentado.

Jesse Ball – Silence Once Begun

O tema do silêncio neste romance é habilmente representado aqui pela assinatura do autor cobrindo onde deveria estar a boca do homem.


É uma daquelas ideias de capa simples, mas eficazes, que impressionam instantaneamente quando você a vê.


Apesar de mostrar apenas os olhos e o nariz do homem, o designer consegue criar uma expressão facial bastante emotiva.

Lisa Brennan-Jobs – Small Fry

Para Lisa Brennan-Jobs, filha de Steve Jobs e sua namorada do colégio, as coisas nem sempre correram bem.


Jobs nem sempre estava por perto para cuidar dela e isso se reflete na capa do livro, que mostra a silhueta de Lisa, uma criança muitas vezes invisível.


Sua silhueta é composta por plantas em flor, uma referência ao campo em que Lisa nasceu.

Karan Mahajan – The Association of Small Bombs

Cores vivas são usadas para representar pequenas bombas escondidas entre as letras do título deste livro.


Todos os envolvidos nas consequências de uma explosão são apresentados nesta história, desde as vítimas até os perpetradores.


As ligações entre as bombas na capa servem como uma representação da ligação entre todos os afetados por uma bomba.

Herman Koch – The Dinner

A frente do The Dinner é uma das muitas ideias nesta lista que capta perfeitamente o espírito de sua história.


A imagem da capa mostra uma toalha de mesa queimada, simbolizando a tensão latente entre os dois casais da história que se sentam para jantar juntos.


Sabemos desde o início que o jantar em questão não será simples e a capa ajuda a criar expectativa para o que está por vir.

Lisa Manterfield – The Smallest Thing

A capa de The Smallest Thing, de Lisa Manterfield, apresenta uma mistura extremamente criativa de um homem usando uma máscara de gás e uma floresta.


O espaço negativo é usado para criar o efeito das árvores, e os pássaros voando para longe delas adicionam um acabamento maravilhoso ao design.


Além do título do livro e do nome do autor, o restante da capa é deixado em branco, presumivelmente para não prejudicar a imagem.

Anuk Arudpragasam – The Story of a Brief Marriage

Uma capa muito simples adorna A história de um breve casamento, de Anuk Arudpragasam, quebrando sem esforço o texto no design.


Nem todas as boas capas de livro precisam ser complexas e o design de A História de um Breve Casamento é prova disso.


As duas strings podem ser interpretadas como os dois personagens do livro que se casam. As cordas se sobrepõem brevemente, mas depois seguem caminhos separados mais uma vez.

Javier Marías – Thus Bad Begins

Uma imagem sombria e agourenta de uma jovem olhando para longe é a capa de Javier Marías' Assim começa o mal.


A imagem é cercada por uma borda branca que a enquadra bem. O texto é exibido em vários intervalos ao longo dessa borda e a escolha da fonte se ajusta bem.


O esquema de cores preto e branco é uma escolha adequada para um livro que não contém muita alegria.

Kim Hooper – Tiny

Uma cena vívida e lindamente pintada captura nossa atenção instantaneamente e nos leva direto para Tiny de Kim Hopper.


Pinceladas largas são usadas para pintar o céu, dando-lhe uma aparência calorosa e pacífica. Pelo contrário, linhas finas são usadas na estrada para representar a velocidade.


O texto do título em negrito complementa o design e serve para aumentar seu impacto no leitor.

Ficção

Thomas Clerc – Interior

O interior de Thomas Clerc, que explora o materialismo, a auto-obsessão e a sociologia, é igualmente impressionante em seu exterior.


Uma figura humanóide é construída de forma criativa a partir de objetos aleatórios que aparecem na residência urbana parisiense de Clerc.


No livro, todos os objetos que vemos são escrutinados e seu valor é questionado. Quando combinados para formar um homem-palito, esses objetos se mostram bastante inúteis.

Anthony Burgess – Laranja Mecânica

O infame Laranja Mecânica de Anthony Burgess já pode ser bem conhecido, mas esta capa certamente o ajuda a atrair ainda mais atenção.


O texto amarelo funciona bem contra um fundo vermelho e o olho hipnótico do personagem ilustrado ajuda a atraí-lo.


Ao pensar em ideias para a capa do seu livro, pode ser uma boa prática considerar cores primárias brilhantes que se destacam no seu design.

Janna Levin – Black Hole Blues and Other Songs from Outer Space

O designer da capa de Black Hole Blues and Other Songs from Outer Space apresenta uma das ideias de capa mais adequadas aqui.


Usando os temas de som e espaço, é criado um design que aparece tanto como um vinil quanto como um espaço externo.


As linhas de órbita são semelhantes às linhas e ranhuras presentes em um vinil também. A lua também pode ser comparada ao orifício central do vinil.

Ray Bradbury – Fahrenheit 451

Não há nada que impeça que uma ideia de capa seja interativa, como prova esta iteração do clássico romance distópico de Ray Bradbury, Fahrenheit 451.


Embora dar aos leitores um fósforo para acender seu livro possa não ser a ideia mais convencional, ela se adapta à história deste livro até o fim. Afinal, poucas pessoas realmente colocarão fogo no livro!


Devido a adições inteligentes como esta, as vendas de um livro podem aumentar e mais pessoas podem descobrir sobre ele.

Ben Fama – Fantasy

A figura misteriosa na capa de Fantasy alimenta o sentimento geral de incerteza nesses poemas, que questionam muitos elementos da sociedade.


Rosa, azul e cinza se combinam para criar um esquema de cores interessante e discreto para o design.


A fonte é toda em maiúsculas, mas pequena em tamanho, permitindo que a imagem no design ocupe o centro das atenções.

Malka Ann Older – Infomocracy

Formas e padrões azuis brilhantes compõem uma imagem semelhante a uma máquina na capa de Infomocracy de Malka Ann Older.


A política desempenha um grande papel na história e esta máquina de muitas partes é uma boa metáfora visual para a microdemocracia global no livro.


As imagens na capa, como homens correndo e sinais de alerta, sugerem o perigo à frente.

Jon Jodzio – Knockout

Esta ilustração desenhada às pressas de um tigre está relacionada a um dos contos deste livro, que envolve um viciado em drogas em recuperação roubando um tigre.


Se você acha que é uma história bizarra, há ainda mais contos malucos neste livro. A natureza aleatória do desenho é um reflexo adequado da natureza desequilibrada desta coleção.


O texto no design contribui para esse visual. É vagamente manuscrito em uma fonte que parece giz.

Vladimir Nabokov – Lolita

Este design para a capa de Lolita, de Vladimir Nabokov, quase parece ter a aparência de uma carta de amor.


O texto é manuscrito, como se fosse do próprio Nabokov, e isso dá um toque pessoal à capa.


Lábios vermelhos no centro da página unem o design e sugerem o romance da história.

Georges Didi-Huberman – O que nós vemos, O que nos olha (Imago)

Usar o desenho geométrico para seus livros pode ajudá-lo a criar capas únicas e interessantes.


Isso pode ser observado em O que nós vemos, O que nos olha (Imago), de Georges Didi-Huberman, que destaca seu desenho geométrico bem elaborado com uma marcante escolha da cor amarela.


O texto da capa é exibido em um ângulo, permitindo que ele se encaixe perfeitamente com o restante do design.

Darby Larson – Ohey!

A capa deste livro grita com você e permite que você saiba que está lá. Ei! usa texto extra grande para enfatizar o título do livro.


O pano de fundo é uma confusão de longos cabelos loiros que provavelmente é uma visualização da protagonista feminina da história.


Esta é uma das capas desta lista que realmente usa o contraste a seu favor, usando de forma criativa o texto em preto sobre um fundo mais claro.

David J. Peterson – The Art of Language Invention: From Horse-Lords to Dark Elves, the Words Behind World-Building

O livro do especialista em linguagem David J. Peterson sobre criação de linguagem tem uma capa que se encaixa perfeitamente no conteúdo do livro.


A fonetização do título do livro é representada na capa em texto grande e azul. Entre isso, o título é escrito normalmente.


Criar um design como esse oferece algo com o qual o leitor pode se envolver imediatamente. Por exemplo, se vemos um trecho de texto que não é instantaneamente legível, tendemos a tentar decifrá-lo.

Umberto Eco – O Nome da Rosa

A capa de O Nome da Rosa é simples e minimalista, mas isso cria um design muito intrigante.


Vemos um pássaro solitário ao lado de uma cadeira e tendemos a nos perguntar qual é o significado de ambos. No título do livro, a palavra 'rosa' está riscada, aumentando a sensação de mistério.


A combinação de cores funciona bem aqui também. Uma cor azul suave que compõe a maior parte do fundo é acompanhada por uma borda cinza claro.

April Ayers Lawson – Virgin and Other Stories

Esta composição geométrica é composta por triângulos dentro de quadrados que se combinam para formar uma colagem nada convencional.


As várias formas no design podem representar as histórias individuais deste livro que se juntam para formar o todo.


As histórias deste livro são diferentes umas das outras, mas também há muitas semelhanças entre elas.

Hari Kunzru – White Tears

A tipografia grande domina a capa de White Tears de Harry Kunzru, resultando em um design atraente.


Não há imagens na capa, então isso permite que o texto em negrito floresça. Todas as letras são colocadas em alturas diferentes, criando uma aparência irregular.


Entre os espaços deste texto, o título é escrito em fonte menor ao lado do nome do autor.

Comida

Blanche Vaughan – Egg: The Very Best Recipes Inspired by the Simple Egg

Se bem feitas, as capas que usam design minimalista costumam ser criações memoráveis que dão uma dica sutil sobre o que será o livro.


Aqui, não há nada sutil. Um livro chamado Egg recebe uma capa que é uma referência direta ao seu título. Apesar do assunto ser um ovo humilde, o design ainda é muito impressionante.


Há um orifício na capa que permite que o amarelo brilhante da página interna apareça como a gema e ilumine o desenho.

Paul Roberts – The End of Food

O relato sombrio de Paul Roberts sobre os enormes problemas enfrentados pela indústria global de alimentos tem uma capa muito apropriada; uma bandeja de comida vazia.


O rótulo da bandeja é usado de forma inteligente para exibir informações sobre o livro, como o título, o nome do autor e seus trabalhos anteriores.


As fontes escolhidas neste design podem ser usadas em embalagens como esta, fazendo com que pareçam muito realistas.

História

John Beckman – American Fun: Four Centuries of Joyous Revolt

American Fun: Four Centuries of Joyous Revolt analisa o que a diversão significa para os americanos e como isso moldou sua história.


A capa em si é divertida e se inspira nas estrelas e listras da bandeira dos Estados Unidos.


'Fun' é pintado com spray sobre o resto do texto, simbolizando uma relutância em se conformar e um desejo de expressão.

Chuck Klosterman – But What If We’re Wrong? Thinking About the Present As If It Were the Past

Uma capa em que tudo está de cabeça para baixo é uma metáfora visual adequada para Mas e se estivermos errados, de Chuck Klosterman?


Klosterman tenta prever o que as gerações futuras pensarão do mundo em que vivemos hoje. Ele questiona se as coisas serão percebidas completamente diferentes de como são agora.


O texto invertido nos permite ver as coisas de uma nova perspectiva imediatamente. O texto preto e sobre fundo branco enfatiza a mensagem.

Adam Smith - A Riqueza das Nações

A Riqueza das Nações é um livro clássico que teve muitas capas, mas esta em particular se destaca da multidão.


Uma visão panorâmica panorâmica de um vale extenso coberto por campos arados, enquanto um bando de gansos voa graciosamente.


Usando espaço negativo, uma mão rompe a composição e carrega o nome do livro e do autor.

Meios de comunicação

Jeff Ryan – Super Mario: How Nintendo Conquered America

A capa de Super Mario: How Nintendo Conquered America usa tipografia simples e pixelada ao lado de uma imagem do icônico personagem Super Mario da Nintendo contra um fundo azul celeste.


Para as inúmeras pessoas que jogaram os jogos Super Mario, esta imagem de capa é instantaneamente reconhecível.


Ao usar o familiar, o designer explora o sentimento de nostalgia do leitor, tornando-o mais propenso a pegar o livro.

Frank Rose – The Art of Immersion: How the Digital Generation Is Remaking Hollywood, Madison Avenue, and the Way We Tell Stories

A capa de The Art of Immersion faz um uso fantástico do espaço negativo, retratando uma cabeça humana cercada por listras pretas e brancas movendo-se para fora em um movimento ondulatório.


O livro documenta como passamos de mero consumidor de mídia para ser a mídia. Ele explora como o entretenimento está rapidamente se tornando uma via de mão dupla.


As ondas quase parecem ser uma extensão da consciência da cabeça. Quando tomado no contexto do livro, pode ser visto como uma representação visual da quantidade de informação que agora podemos colocar em nossas mãos e compartilhar com o mundo.

Não-ficção

Matthew Desmond – Evicted: Poverty and Profit in the American City

Seguindo as histórias de 8 famílias em algumas das áreas mais pobres de Milwaukee, Evicted: Poverty and Profit in the American City destaca a desigualdade na América moderna.


A ideia por trás da capa deste livro é simples, mas comovente. Vemos uma parede que ficou marcada por porta-retratos que foram retirados após um despejo.


Isso nos faz pensar nas memórias que uma família compartilhou naquela casa e como um despejo pode privá-los de tudo o que eles amam.

Nacho Carretero – Fariña

Fariña conta a história do narcotráfico na Galícia, no norte da Espanha, com relatos de traficantes, pilotos, famílias afetadas, policiais e jornalistas.


A capa, um fardo de cocaína aberto, é uma peça inteligente de design altamente relevante para a história. Não perde tempo em entender o que é Fariña.


Para um livro como este, o designer sabia que precisava criar uma capa impactante que fizesse justiça às histórias contidas.

Brian Phillips – Impossible Owls: Essays

Esta coleção de ensaios do jornalista Brian Phillips tem uma capa que atrai instantaneamente sua atenção.


A imagem de uma jovem rainha é parcialmente obscurecida pela imagem de uma coruja e um tigre. A boca do tigre substitui a da mulher e a coruja faz parte de sua cabeça. As tentativas de Phillips de encontrar tigres na Índia são apenas uma das histórias interessantes registradas nesta coleção.


As ideias de capa não precisam ser convencionais. Aqui, o designer se inspira em elementos únicos do livro e cria um design inesperado.

Dave Furman – Kiss the Wave: Embracing God in Your Trials

A página rasgada na capa de Kiss the Wave oferece uma analogia adequada para o ethos do livro, que diz que devemos trabalhar com a dor e não apenas buscar alívio instantâneo dela.


A página pode estar rasgada, mas eles ainda podem formar uma capa completa. Não precisa ser consertado instantaneamente para formar algo de valor.


Os rasgos no design também parecem ondas. O título refere-se a uma citação do pregador Charlie Spurgeon: “Aprendi a beijar a onda que me joga contra a Rocha das Eras”.

Michael McAfee and Lauren Green McAfee – Not What You Think: Why the Bible Might Be Nothing We Expected Yet Everything We Need

O papel rasgado aparece novamente neste design para a capa de Not What You Think. Desta vez, é usado para destacar passagens da Bíblia que podem ser úteis para a sociedade moderna.


Esses recortes de papel são colocados sobre um fundo turquesa claro. No entanto, é difícil evitar que o forte texto do título domine esta capa.


Isso mostra que, ao ter ideias, nada está fora dos limites; mesmo que isso signifique usar recortes de seu próprio livro!

Robert Moor – On Trails: An Exploration

Depois de caminhar pela Trilha dos Apalaches, Robert Moor começou a pensar sobre a origem de todas as trilhas e qual o papel que elas desempenham em nossas vidas. Essa questão posteriormente o levou a explorar questões ainda maiores sobre a vida.


A capa de seu livro reflete seu foco nas trilhas. Uma trilha longa e sinuosa serpenteia pelo livro, passando por diferentes letras à medida que passa.


A fonte dourada tem um belo brilho e se destaca claramente contra o fundo preto. Uma borda prateada é usada para emoldurar o design.

Caitlin Doughty – Smoke Gets in Your Eyes

Smoke Gets in Your Eyes conta a história de uma garota que trabalha em um crematório e como suas experiências moldam sua atitude em relação à morte.


A bandeja usada para coletar as cinzas do corpo cremado é usada como cobertura. É uma imagem dura que pode chocar alguns, mas é consistente com o espírito do livro. Às vezes, suas ideias de capa de livro não agradam a todos.


O texto da capa é exibido em etiquetas que são colocadas nas cinzas e as fontes utilizadas são adequadas ao design.

Jose Revueltas – The Hole

O design da capa de The Hole faz uso inteligente de seu texto para formar algo que represente a história. O 'o' no buraco é ampliado para que pareça um buraco.


A fonte é feita em um estilo manuscrito simples e, em geral, o design é de natureza minimalista.


Pode ser uma das capas mais simples desta lista, mas o design cumpre seu propósito ao sugerir de maneira inteligente sobre o que será o livro.

Eli Horowitz – The Silent History

A tipografia alternativa sobre um fundo circular é usada neste design para a capa de The Silent History de Eli Horowitz.


O livro conta a história de crianças que nasceram sem falar e as lutas pelas quais passam.


Como as crianças não falam, elas precisam se comunicar de uma maneira diferente. O fato de a fonte ser muito diferente é adequado a esse respeito. Representa o fato de que existem formas alternativas de comunicação.

Philipp Freiherr von Boeselager – Valkyrie: The Story of the Plot to Kill Hitler, by Its Last Member

A fascinante história da conspiração para matar Hitler é revelada em Valquíria, de Philipp Freiherr von Boeselager.


A imagem escolhida capta perfeitamente a gravidade da missão. Vemos uma figura tão conhecida, Adolf Hitler, e um ponto vermelho sobre sua cabeça que indica que ele é o alvo.


O ponto vermelho é enfatizado pelo fato de que o restante da capa é deixado em preto e branco.

Naomi Guttman – Wet Apples, White Blood

Uma gota branca solitária risca a capa vermelha lisa de Wet Apples, White Blood, de Naomi Guttman.


O design é altamente minimalista e muito instigante, levando o leitor a abrir o livro para descobrir do que se trata.


Wet Apples, White Blood é uma coleção de poemas inspirados no papel que a enfermagem desempenhou na evolução e na cultura humana.

Novela

Robert Seethaler – A Whole Life

A Whole Life é a história fictícia do relacionamento de um homem com o vale da montanha onde ele passou toda a sua vida.


A capa do livro ilustra isso retratando um homem solitário caminhando por um vale de árvores. Parece desenhado à mão, o que estaria de acordo com os motivos humildes deste romance.


Um tamanho grande e uma cor dourada são usados para destacar o texto, mas isso não prejudica a ilustração.

David Means – Assorted Fire Events

A coleção de 13 contos de David Means, Assorted Fire Events, tem uma capa que combina muito com o livro.


13 palitos de fósforo estão dispostos em uma fileira, cada um representando um dos

histórias no livro.


O livro é mais do que apenas eventos de incêndio. Oferece uma exploração profunda da fragilidade de todas as coisas que mais valorizamos.

Jenny Offill – Dept. of Speculation

Grandes capas de livros também podem ser enigmáticas, como podemos ver na capa do Dept. of Speculation de Jenny Offill.


Tornar todo o design um quebra-cabeça faz com que o leitor se pergunte sobre o que será o livro.


Uma das peças do quebra-cabeça é removida para exibir o título do livro, adicionando alguma assimetria ao design.

Lee Tulloch – Fabulous Nobodies

Fabulous Nobodies apresenta a silhueta de uma garota em um fundo vermelho. O título do livro é escrito sem parar dentro da silhueta.

Podemos imaginar que a garota é fabulosa, mas como não podemos realmente vê-la, ela não é ninguém para nós.

Uma orelha de cachorro é adicionada ao canto superior direito da capa para incentivar os leitores a virar a página e ler o livro.

Rivka Galchen – Little Labors

O esquema de cores da capa de Little Labors, de Rivka Galchen, faz com que ela se destaque instantaneamente da multidão.


Vermelho, rosa e amarelo podem não ser a combinação de cores mais natural, mas funcionam muito bem neste caso.


O estilo de design é simples, mas impactante. O texto é criado usando uma fonte all-caps, sem serifa e o plano de fundo não tem imagens.

Merritt Tierce – Love Me Back

As luzes de neon apagadas que formam o texto na capa de Love Me Back, de Merritt Tierce, podem ser vistas como uma metáfora visual para a natureza insatisfatória da vida do personagem principal.


Marie é uma jovem garçonete em uma espiral descendente, que perde quem ela é em um mundo onde ela deve ser uma versão falsa de si mesma.


Como as luzes de néon na capa, não há brilho para Marie. Apenas uma descida rumo à autodestruição.

Ben Marcus – Notes from the Fog: Stories

Esta capa de livro instantaneamente memorável mostra um homem com o rosto firmemente colocado contra uma vidraça.


É uma imagem estranha e inesperada que se encaixa bem na coleção de histórias estranhas que aguardam o leitor deste livro.

*O texto no design é espelhado, fazendo parecer que está voltado para o homem em vez do leitor.

Allison Britz – Obsessed: A Memoir of My Life with OCD

Como mostra esta capa, o zumbido constante das abelhas pode ser comparado à luta incessante de uma mente que lida com o TOC.


A ilustração desenhada à mão representa como a vida normal do jovem adolescente neste livro foi virada de cabeça para baixo pelo distúrbio.


A palavra obcecado é escrita em uma fonte clara e em negrito que enfatiza o poderoso controle que o TOC tem sobre Allison.

Rebecca Schiff – The Bed Moved

As letras rosa brilhantes na capa de The Bed Moved são deslocadas aleatoriamente, como se uma cama tivesse realmente sido movida.


Apesar das letras serem tortas, o texto é fácil de ler e o design geral acaba se destacando mais.


Rosa e preto é sempre uma ótima combinação de cores e o designer a usa de forma eficaz nesta capa.

F.Scott Fitzgerald – O Grande Gatsby

Algumas capas de livros consistem em visuais muito bem pensados, e esta capa do clássico de F. Scott Fitzgerald tem tudo isso.


O espaço negativo é usado para criar o que seria a cadeira de Jay Gatsby e um copo de coquetel funciona como o 'y' em Gatsby.


Preto e amarelo são conhecidos por serem uma das combinações de cores mais atraentes e fazem jus à sua reputação nesta capa.

Elif Batuman – The Idiot

Uma pedra pode normalmente ser um objeto desinteressante, mas na capa de O Idiota ela é o elemento central do design.


É uma escolha curiosa, mas consegue funcionar. O fundo rosa confere energia à capa e contrasta com o cinza da pedra.


A fonte escolhida para esta capa é uma fonte com serifa formal que adiciona estrutura ao design.

Upton Sinclair – The Jungle

A silhueta escura do homem é preenchida aqui pelo horizonte de uma cidade à noite para criar um design enigmático.


A tipografia vermelha brilhante é usada para adicionar uma sensação de perigo e permeia este livro do começo ao fim.


Publicado pela primeira vez em 1905, o romance clássico de Upton Sinclair, The Jungle, conta a história de um imigrante lituano tentando sobreviver em uma caótica Chicago.

Brit Bennett – The Mother

The Mothers, de Brit Bennett, pode ter uma capa edificante, mas a história por dentro lida com questões como aborto, suicídio e abandono.


O design da capa tem uma infinidade de cores vivas, combinando azuis, verdes e laranjas com grande efeito.


As ideias de capa de livro nem sempre correspondem à história. Nesse caso, o design de The Mothers se destaca por si só.

Jess Row – Your Face in Mine

Formas variadas se fundem para formar um design intrigante em estilo origami na capa de Your Face in Mine, de Jess Row.


Parece que estamos vendo a capa de cima e há uma abertura para revelar o nome do autor.


Os tons das cores são dessaturados e fazem com que a capa pareça ter sido projetada há muitos anos.

Romance

Semih Çalışkan – Bir Bar Filozofu

A capa do Bir Bar Filozofu é totalmente inventiva em seu design. Ele usa close-ups de dois rostos para criar a aparência de um desfiladeiro.


Entre as cabeças que se beijam está um homem olhando para cima, que parece estar observando a cena.


O efeito dessa capa é potencializado pelo fato de a imagem parecer real.

Mike Roberts – Cannibals in Love

Duas mãos se entrelaçam, formando uma pequena linha que serpenteia pela capa de Cannibals in Love.


Em uma técnica tipográfica incomum, a pele da mão de cada pessoa é parcialmente usada para criar as letras da capa.


Em última análise, esse é um design muito envolvente, auxiliado por seu título atraente, que leva o leitor a se perguntar sobre o que o livro pode ser.

Aziz Ansari – Modern Romance

O amor moderno costuma ser rápido, insincero e corrompido pela tecnologia, o que torna a capa de Modern Romance, de Aziz Ansari, um símbolo adequado para ele.


Vemos um homem de terno com corações nos olhos segurando um telefone, mas com uma expressão decepcionada no rosto.


O próprio Ansari é o homem da capa e, como comediante, ele pode não estar tentando transmitir uma mensagem profunda aqui. No entanto, as ideias de capa de livro podem ser interpretadas de muitas maneiras diferentes.

Keith Ridgway – Never Love a Gambler

O espaço negativo é usado na capa de Never Love a Gambler para criar a aparência de dois dados.


Há uma estrutura muito boa para esta capa. O texto e as imagens são bem equilibrados e se complementam sem esforço.


Idéias de capa de livro minimalista como essa são intrigantes o suficiente para chamar a atenção de um leitor sem ser intrusivo.

Susan Briscoe – The Crow’s Vow

Uma imagem de um corvo real é usada aqui para substituir a palavra corvo em The Crow's Vow, de Susan Briscoe.


É uma peça inovadora de design que chama a atenção para o livro. O corvo preto se destaca bem contra o fundo rosa suave.


O texto escolhido pelo designer é limpo e nítido, complementando sutilmente o resto da capa.

Stuart Dybek – The Start of Something: The Selected Stories of Stuart Dybek

Stuart Dybek, um mestre do conto, ganha uma capa digna de seu talento com este design único.


Como um chef mostrando todos os ingredientes que entraram em sua receita, Dybek mostra todos os lápis gastos que foram usados para escrever seu livro.


Os lápis são cuidadosamente dispostos de forma a permitir que o título do livro seja escrito ao longo deles.

Ciência

Eric G. Wilson – Against Happiness: In Praise of Melancholy

Uma capa amarela brilhante pode parecer trair um título como Against Happiness, mas após uma inspeção mais detalhada, podemos ver que não é o caso.


A curvatura do texto pode ser vista como uma boca virada para baixo e faz com que a capa pareça um rosto triste.


É uma capa facilmente perceptível que certamente se destacará da multidão em qualquer estante em que se encontre.

Toni Morrison – Burn This Book: PEN Writers Speak Out on the Power of the Word

'Burn This Book' é certamente uma mensagem incomum para ler quando você compra um novo livro em uma livraria.


No entanto, para uma coleção de ensaios que exploram o significado da censura, é uma capa adequadamente irônica.


O esquema de cores em preto e branco ajuda a acentuar o texto e nenhuma imagem é necessária para transmitir uma mensagem tão rígida.

Steve Parker – Evolution: The Whole Story (Spanish Edition)

Um chimpanzé olha para fora da capa da Evolution com uma expressão significativa no rosto.


É um design adequado para tal livro, afinal, é uma crença amplamente aceita que todos os seres humanos evoluíram dos macacos.


As melhores ideias de capa de livro geralmente podem consistir em uma imagem única e poderosa que oferece uma boa representação do que será o livro.

A.Zee – On Gravity: A Brief Tour of a Weighty Subject

On Gravity faz com as letras de sua capa o que a gravidade faz com tudo, ela as arrasta impiedosamente para baixo.


Felizmente, o layout confuso dessas letras é o design perfeito para este excelente livro de ciências.


O plano de fundo é deixado completamente branco, mas o texto é uma fonte preta em negrito. Isso cria um forte contraste que torna a capa ainda mais perceptível.

Jack C. McCormac – Structural Analysis

Aqui vemos uma brilhante peça de desenho geométrico sendo usada na capa de Structural Analysis de Jack C. McCormac.


Vemos uma estrutura simplificada, composta por grossas linhas pretas, absorvendo o peso de uma bola vermelha. É um design descomplicado e uma maneira fantástica de mostrar a ideia por trás do livro.


O esquema de cores também funciona muito bem, com a bola vermelha se destacando contra o preto e branco.

William Carlos Williams – The Doctor Stories

Uma estrutura celular ou uma gota de tinta? A capa de The Doctor Stories, de William Carlos Williams, está aberta para interpretação.


Qualquer uma dessas opções seria adequada para alguém como Williams, que era um médico e escritor estimado.


O texto no design muda de cor conforme a cor do plano de fundo muda, criando uma estética interessante.

James Gleick – The Information: A History, a Theory, a Flood

Informação é o nome deste livro e a capa faz jus ao seu nome, fornecendo-nos muita informação.


Essa intrigante técnica de design repete o título do livro várias vezes até preencher toda a capa.


Parte do texto é destacada em vermelho e destina-se a ser lida, mas o restante do texto pode ser visto como plano de fundo.

Ação

George Orwell – 1984

Um livro tão icônico merece uma capa icônica. Felizmente, é exatamente isso que o 1984 de George Orwell consegue.


Ideias de capa de livro que podem dizer tanto usando tão pouco são muito raras, mas essa capa consegue transmitir muito sobre o que é essa história.


As apóstrofes no design servem a dois propósitos: elas representam o olho que tudo vê do onipresente Big Brother e uma delas é usada para criar o 9 em 1984.

Lili Wright – Dancing with the Tiger

Tigres dançantes são vividamente ilustrados neste design energético. Os tigres parecem preparados, como se estivessem prontos para atacar.


No livro, nenhum personagem é confiável, e a capa reflete isso. Alguns dos tigres carregam armas, destacando suas intenções tortuosas.


A folhagem no design fornece outra camada para esses tigres intrigantes se esconderem e ocultar ainda mais suas motivações em mistério.

Timur Vermes – Look Who’s Back

Um simples penteado e um bigode são tudo o que precisamos para reconhecer uma das figuras mais desprezíveis da história da humanidade.


Não há muitos detalhes no design desta capa, mas o que existe é usado para criar uma imagem inteligente de Adolf Hitler.


O título do livro funciona como o bigode de Hitler e o espaço vazio nos permite tirar nossas próprias conclusões sobre onde estaria o resto de seu rosto.

Carl Jung – Modern Man in Search of a Soul

Modern Man in Search of a Soul, de Carl Jung, tem uma capa expansiva que se encaixa em um título tão elevado.


Múltiplos círculos compõem um desenho que parece estar constantemente em movimento. Esses círculos têm uma aparência desenhada à mão.


Os círculos podem ser interpretados como a trajetória da órbita de um planeta ou como linhas em um gráfico matemático.

Kevin Brockmeier – The Brief History of the Dead

Mãos pálidas abrem um sobretudo, mas não há ninguém dentro dele, simbolizando que essa pessoa faleceu.


A coloração em tons de cinza enfatiza os temas do livro, que é um romance que aborda a vida, a morte e tudo mais.


O título do livro é exibido dentro do casaco e é destacado por uma grande fonte branca em maiúsculas.

Jonas Karlsson – The Room

Idéias de capa de livro que mostram a tipografia interagindo com objetos do mundo real geralmente são designs muito bem pensados.


Um homem atravessa o 'o' na sala como se fosse uma porta para uma sala real. No romance, o personagem principal afirma ter descoberto uma sala secreta no escritório em que trabalha.


A tipografia domina a maior parte da capa e é sutilmente sombreada, dando-lhe uma aparência 3D.

Steven Millhauser – Voices in the Night

O designer da capa de Voices in the Night adicionou um efeito ondulado único que dá à capa uma aparência enigmática.


As ondulações contrastam com as linhas retas do design. As linhas retas podem ser interpretadas como pensamento lógico e racional, e as ondulações podem ser vistas como as forças do livro que constantemente ameaçam dominá-las.


A capa do livro quase parece uma página sendo virada, o que estimula a ação de abrir o livro e descobrir o que está dentro.

Sofi Oksanen – When the Doves Disappeared

Uma silhueta de uma pomba une este design. Isso ajuda a mesclar perfeitamente as duas fotos na capa.


Uma foto é tirada em um estilo sépia mais antigo, mas a foto ao fundo parece ser mais recente.


A combinação dos dois homens voltados para direções opostas cria uma aparência única e atraente.

Viagem

Penguin Books – Guias de viagem

Nesta coleção de guias de viagem, alguns dos ícones clássicos de cada cidade são exibidos em suas capas .


As letras em cada desenho são brilhantemente usadas para criar a Torre Inclinada de Pisa, a Torre Eiffel e um ônibus de Londres.


É uma maneira inteligente de mostrar imagens das cidades escolhidas, mantendo o design totalmente minimalista.

Conclusão:

Agora que você deu uma olhada em todas as ideias de capa da nossa lista, é hora de começar a ter suas próprias ideias. Todos esses projetos usam uma variedade de técnicas de design impressionantes que você pode usar em seu próprio trabalho. Depois de escolher sua fonte de inspiração, você pode começar a criar seus próprios designs.


Compartilhe suas ideias sobre essas ideias de capa de livro twittando @getdesignwizard. Deixe-nos saber quais são seus favoritos ou conte-nos sobre as grandes capas que não incluímos na lista.

Michael Cole

Michael Cole

Michael Cole is a professional content writer. He has completed a BA in English and History and an MA in Journalism. Michael has extensive experience writing for both print and web and can turn his hand to any subject. His favourite one is free graphic design software. Especially he likes Background Remover by Design Wizard.